top of page
curso audiência de instrução e julgamento criminal

TREINAMENTO 

AUDIÊNCIA DE INSTRUÇÃO E JULGAMENTO CRIMINLAL:

tudo que você precisa saber na prática para atuar com segurança.

Buscar

Como funciona o regime fechado

Atualizado: 15 de abr. de 2023

Neste artigo vamos trabalhar o que vem a ser o regime de cumprimento de pena FECHADO.


Vamos destacar o que é o regime fechado, quais condenados devem ser submetido a ele e como funciona.

 
O QUE É O REGIME FECHADO

Inicialmente devemos destacar que no Direito brasileiro as penas são divididas em privativas de liberdade, restritivas de direito e as de multa.


Os regimes prisionais, por óbvio, estão previstas dentro da seção do Código Penal que trata das penas privativas de liberdade.


Somente nas penas privativas de liberdade é que um condenado pode vir a ser levado a cumprir a pena numa penitenciaria.


As penas, por sua vez, podem ser divididas em reclusão e detenção.


Cada crime previsto no Código Penal, ao fixar a sua pena, com base no tempo a ser cumprido já diz se determinado delito tem pena de detenção ou reclusão.


O homicídio que possui uma pena de 6 a 20 anos diz que a pena é de reclusão. Já a Lesão Corporal leve, diz que a pena é de detenção, pois, sua pena é de 3 meses a 1 ano.


Feito esses esclarecimentos iniciais, passaremos a abordar o regime fechado.


REGIME FECHADO


O regime fechado é aquele em que o apenado inicia o cumprimento da sua pena em estabelecimentos de segurança máxima e média.


Esse regime é destinado para as pessoas condenadas a crimes com a pena superior a 8 anos, conforme determina o Código Penal:


§ 2º - As penas privativas de liberdade deverão ser executadas em forma progressiva, segundo o mérito do condenado, observados os seguintes critérios e ressalvadas as hipóteses de transferência a regime mais rigoroso: (Redação dada pela Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
a) o condenado a pena superior a 8 (oito) anos deverá começar a cumpri-la em regime fechado;
[...].

Esse regime é aquele em que o Apenado fica preso de forma integral, até que consiga progredir no seu regime para o semiaberto.


No Brasil não existe cumprimento de pena de forma integral em um regime, sendo a progressão obrigatória para os detentos que estão há determinado tempo em um regime e apresentem bom comportamento, passando do mais gravoso para o menos gravoso, até que atinja a liberdade.


O detento cumprindo pena no regime fechado, pode trabalhar no estabelecimento enquanto preso, usufruindo de todos os benefícios destinados aos presos, como educação, visitas, entre outros.


A legislação, também prevê a possibilidade do trabalho externo em obras públicas, desde que autorizado pelo juízo da execução penal.


Vale lembrar que tanto o trabalho interno e externo é sob supervisão.


As penas impostas em qualquer dos regimes, sempre serão cumpridos de forma progressiva, ou seja, inicia em um e passa para o próximo com base no seu comportamento e o tempo de pena cumprido (art. 112 da Lei de Execuções Penais).


Não existe a progressão por salto, por exemplo, quem começa a cumprir a pena no regime fechado não poderá passar para o aberto direto, tendo obrigatoriamente passar pelo semiaberto para depois ir para o aberto.


Ainda temos o regime disciplinar diferenciado, previsto no art. 52 da Lei de execuções penais, mas esse é uma verdadeira exceção, aplicados em casos excepcionais.


Resumidamente, o regime fechado é o mais rigoroso, sendo destinado para os condenados a pena superior a 8 anos, devendo ficar de forma integral detido no estabelecimento penal.

 

Está iniciando na advocacia criminal e se sente inseguro em atuar?


Convido você para conhecer a nossa comunidade Advocacia Criminal estratégica.


Com aulas objetivas e práticas, te ajudamos, sem perder tempo, a transformar a sua atuação na advocacia criminal.


 

Luiz Ricardo Flôres é Advogado, atuando em Tijucas e região. OAB/SC 23.544.

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page