top of page
curso audiência de instrução e julgamento criminal

TREINAMENTO 

AUDIÊNCIA DE INSTRUÇÃO E JULGAMENTO CRIMINLAL:

tudo que você precisa saber na prática para atuar com segurança.

Buscar

PRISÃO PREVENTIVA: garantia da ordem econômica

Neste artigo vamos falar sobre a prisão preventiva, especialmente no tocante ao requisito da garantia da ordem econômica.

 
PRISÃO PREVENTIVA GARANTIA DA ORDEM ECONÔMICA

Como já estudado anteriormente, a prisão preventiva é uma das formas de prisão cautelar.


Ela se chama de cautelar, porque a sua decretação é uma exceção no ordenamento jurídico nacional, já que a regra no processo penal deve ser a liberdade, com exceção daqueles casos em que contamos com sentença penal condenatória transitada em julgado.


Considerando a prisão preventiva como exceção, para que ela seja decretada, devem estar presentes alguns requisitos específicos, os quais dividimos em requisitos obrigatórios e facultativos.


Dentre os requisitos facultativos, temos os seguintes:



Para que ocorra a decretação da prisão preventiva, devemos ao menos contar com a presença de um dos requisitos facultativos, que passamos a destacar na sequencia o requisito da GARANTIA DA ORDEM ECONÔMICA.


A prisão preventiva para a garantia da ordem econômica, visa que com a prisão, seja garantido que o acusado não volte mais a delinquir contra instituição financeira vindo a lhe causar abalo ou mesmo contra órgãos do Estado.

 
AUDIÊNCIA DE CUSTÓDIA NA PRÁTICA

Sente dificuldade ou insegurança ao participar de uma audiência de custódia?


Acesse nosso WEBINÁRIO GRATUÍTO, Audiência de Custódia na Prática, com material de apoio exclusivo.


Para se inscrever CLIQUE AQUI.




 

Nesta hipótese, podem ser enquadrados empresários que sonegam grande quantidade de impostos, políticos e empresários que desviam grande quantidade de recursos aos cofres públicos, recebendo ou destinando propina, entre outros casos semelhantes.


De forma objetiva, pretende-se evitar o cometimento de crimes que trazem desequilíbrio ao sistema financeiro de modo geral, ou que movimente elevada quantidade de dinheiro.


O fato da conduta não estar revestida de violência ou grave ameaça, por si só, não afasta a aplicação da prisão com base neste fundamento, sendo que crimes desta espécie podem causar grande impacto contra um número indeterminado de pessoas.


Os crimes combatidos com a prisão com base neste fundamento, muitas vezes são os chamados "crimes do colarinho branco".


Por outro lado, assaltantes de banco, por exemplo, podem ter a sua prisão decretada por este fundamento, uma vez que, a sua atuação, inegavelmente, pode trazer abalo à ordem econômica.


Por questão de credibilidade do Poder Judiciário, bem como, para não trazer para a sociedade em geral uma sensação de impunidade, de que nada está sendo feito, a prisão pode ser decretada de forma conjunta com fundamento na garantia da ordem pública e da ordem econômica.


Ressaltamos mais uma vez que no nosso entender, esse fundamento não é válido, pois, a credibilidade do Judiciário deve ser construída com processos legítimos, observando as garantias constitucionais, em prazo razoável e, ao final, caso seja comprovado o crime, daí sim a prisão deve ser aplicada.


Assim, o requisito da garantia da ordem econômica, visa assegurar a não reiteração de prática criminosa que traga abalo para o sistema financeiro, onde normalmente movimentam grande volume de dinheiro.


Para continuar estudando o tema prisão de forma mais aprofundada, destacamos que temos curso específico sobre Prisão e Medidas Cautelares na nossa COMUNIDADE ADVOCACIA CRIMINAL ESTRATÉGICA.


Para saber mais CLIQUE AQUI.

 

Luiz Ricardo Flôres é Advogado Criminalista.

댓글


bottom of page